8 de setembro de 2008

A glória do homem é como a erva...

Pela manhã era um botão, singelo.
O dia foi avançando, o sol aqueceu a terra, o botão abriu-se para a vida com um encanto todo especial.
Ao meio dia ele estava no auge, seu perfume se espalhou pela planície, sua doçura atraiu pássaros, seu encanto cativou a todos que o viram.
À tarde, o sol foi esfriando, vento frio e intenso levaram para longe seu perfume, pássaros sugaram seu néctar, o tempo envelheceu suas pétalas, todas caíram lentamente.
No dia seguinte aquele botão que se transformara na mais linda rosa do jardim já não era, outros botões despontaram no jardim, novos perfumes, novos encantos... mas logo todos tiveram o mesmo destino e outros vieram para substitui-los.
Como diz a Bíblia, somos erva, nossa glória como a flor da erva, seca-se a flor, murcha-se... e já não somos mais! E se alguém quiser gloriar-se de alguma coisa, glorie-se no Senhor!!!

Um comentário:

elianderson disse...

miriaaaam, enfim, atualizando isso
daqui, né? eu sempre digo que
se gloriar nas próprias obras
é fazer muita besteira.
saudades